ACRE

Documentos mostram que esposa de Alan Rick é apontada pela PF como comandante do esquema criminoso e Paulo Santiago esquentava notas

26 de Novembro de 2019 YACONEWS

Por
 Gina Menezes
Contrariando a tese de defesa pública do deputado federal Alan Rick, acusado de operar um esquema de candidaturas laranjas e de que a denúncia teria sido feita por ex-dirigentes do DEM que plantaram falsas denúncias, a reportagem da Folha do Acre teve acesso na manhã desta terça-feira (26) a parte da peça processual que é datada de janeiro quando Paulo Ximenes e Rafael Bastos ainda eram do partido.

Na representação do pedido de prisão temporária dos acusados, a Polícia Federal aponta a esposa de Alan Rick, Michele Miranda, como possível comandante do esquema criminoso de desvio de recursos do fundo partidário com possível uso de candidatura laranja.

A denúncia aponta ainda que quem operava o esquema de notas frias para lavagem de dinheiro era Paulo Nascimento Santiago, irmão do falecido vereador Jessé Santiago.

Paulo vendia notas de serviços não prestados e o montante chegou a R$ 600 mil reais. Coincidentemente, Paulo Santiago foi indicado por Alan Rick para integrar o governo Cameli e recebe uma CEC 7, com salário acima de R$ 7 mil.


A assessoria de imprensa do deputado Alan Rick (DEM) divulgou nota de esclarecimento sobre as acusações contra o parlamentar e sua esposa.

“O deputado Rick está sendo alvo de uma campanha sórdida de difamação com o objetivo de atingir sua honra e de sua família. Em seu segundo mandato na Câmara, o deputado é um político ficha limpa, com uma trajetória pautada no trabalho e sempre pontuada por valores cristãos. Ele ainda não foi notificado, mas confia na Justiça e provará sua inocência”, diz trecho da nota.

Confira a nota na íntegra:

NOTA À IMPRENSA

O deputado Alan Rick nunca se beneficiou de verbas irregulares na sua campanha à reeleição, em 2018, para a Câmara dos Deputados. As informações veiculadas no jornal “Folha de S. Paulo” não são verdadeiras.

Os recursos usados em sua campanha estão todos dentro da lei e aprovados na prestação de contas entregue à Justiça Eleitoral.

A informação de que o voto na PM Sônia de Fátima Silva Alves foi o mais caro do Brasil também é sensacionalista e inconsistente. Houve erro na impressão do seu material de campanha, que foi distribuído com o número de votação errado, com grave prejuízo para sua votação.

O deputado Rick está sendo alvo de uma campanha sórdida de difamação com o objetivo de atingir sua honra e de sua família. Em seu segundo mandato na Câmara, o deputado é um político ficha limpa, com uma trajetória pautada no trabalho e sempre pontuada por valores cristãos. Ele ainda não foi notificado, mas confia na Justiça e provará sua inocência.

0 comentários:

Postar um comentário

Tecnologia do Blogger.