DESTAQUE

Base do governo rejeita emenda de autoria do deputado Daniel Zen, que beneficiaria 40 mil famílias com redução em suas contas de energia

16 Out de 2019 do YacoNews
Assessoria

A base do governo do Estado na Assembleia Legislativa (Aleac) negou proposta que poderia beneficiar cerca de 40 famílias em suas contas de energia, na Comissão de Justiça, nesta quarta-feira, 16. A proposta apresentada pelo Deputado Estadual Daniel Zen (PT) era uma Emenda Modificativa ao Projeto de Lei (PL), de autoria do Poder Executivo, que visa alterar a Lei de Diretrizes Orçamentárias (LDO).

"Independente da polêmica, de todas as questões preliminares que suscitamos nas comissões, quanto às irregularidades no tocante a prazos e formas de tramitação do PL na Casa; das questões de mérito quanto à inconstitucionalidade do referido PL; apresentei tal proposta de emenda para permitir que o Governo amplie a faixa de consumo de energia elétrica sujeita a incidência da alíquota de 17% do ICMS [Imposto sobre Circulação de Mercadorias e Serviços]", explica o parlamentar.

Atualmente, a incidência do ICMS para energia elétrica está dividida em três faixas: Quem consome de 0 a 100 kW/h/mês é isento; Quem consome de 100 a 140kw/h/mês paga 17% de ICMS; Quem consome acima de 140kw/h/mês paga 25% de ICMS. Pela proposta de emenda de Daniel Zen, o governo ficaria autorizado a alterar a faixa do meio, que poderia ser ampliada. Passaria a ser de 100 a 200 (ou 220) kW/h/mês.

"Para se ter ideia são, aproximadamente, 270 mil Unidades Consumidoras (UCs) em todo o estado do Acre. Dessas, 40 mil UCs representam quase 15% de todas as unidades consumidoras do estado. Em tempos de CPI da Energisa e de tramitação de vários projetos de lei que visam trazer benefícios e redução das contas de energia, essa seria a forma mais inteligente de promover redução no valor das contas de luz de muita gente sem precisar alterar a tarifa (coisa que é de competência da Agência Nacional de Energia Elétrica) e sem precisar reduzir a alíquota do imposto (coisa que é de competência do Poder Executivo)", afirma Zen.

Em sua fala, o parlamentar lembra ainda que o próprio governador Gladson Cameli, anunciou em seu programa semanal na Rádio Aldeia FM, na segunda-feira, 14, que estudava a possibilidade de promover redução do ICMS das contas de energia elétrica. "Mas, a Base Governista na Aleac rejeitou a minha proposta, que autorizaria o governador a promover tal benefício, sob a justificativa de que o orçamento do governo não comporta mais uma renúncia de impostos. Ou seja: se o Governador quiser promover tal redução de imposto, como ele disse que iria fazer, não poderá mais fazê-lo, pois tal redução deve ser precedida de autorização na LDO", declara.

0 comentários:

Postar um comentário

Tecnologia do Blogger.